Desafios e a inovação da Gestão de Riscos

Matriz Efetiva, KPIs e KCIs

Por Aline de Oliveira/ Sollicita

Segundo o Tribunal de Contas da União (TCU), risco é o efeito da incerteza sobre objetivos estabelecidos. “É a possibilidade de ocorrência de eventos que afetem a realização ou o alcance dos objetivos, combinada com o impacto dessa ocorrência sobre os resultados pretendidos. Os riscos existem independentemente da atenção que damos a eles. Seja na nossa vida cotidiana, seja no mundo corporativo ou no setor público, estamos imersos em ambiente repleto de riscos, oportunidades e ameaças que, se não gerenciados, podem comprometer o alcance de objetivos almejados”.

De acordo com auditorias realizadas pelo TCU, é crítico o percentual de organizações que se encontram no estágio inicial de capacidade de “estabelecimento de modelo de gestão de riscos” e de “gestão de riscos críticos” (79% e 83%, respectivamente).

Rodrigo Pironti, Pós-Doutor pela Universidad Complutense de Madrid, explica quais os desafios desta área e como a inovação pode ajudar a superá-los.

Quais são os principais desafios da gestão de riscos?

Rodrigo Pironti - O entendimento global sobre gestão de riscos ainda está pouco disseminado na Administração Pública. A percepção de evento de risco ainda é pouco compreendida por aqueles que trabalham com o tema e existe uma grande dificuldade na fase de identificação dos riscos. Além disso, aspectos como as 3 linhas de defesa e o enquadramento do gerenciamento de riscos, definição do apetite de risco e elaboração de uma matriz efetiva ainda são aspectos que demandam um maior aprofundamento teórico quando o assunto é aplicação na Administração Pública.

Como a inovação pode ajudar a superá-los?

Rodrigo Pironti - Com sistemas que sejam adequados e que conversem de forma dinâmica com a gestão pública. Ainda não há sistemas adequados à esta realidade e este “Gap” é algo que pode ser aperfeiçoado dentro de conceitos de inovação a aplicação efetiva dessa nova metodologia.

Como falar de inovação nesta área, se a própria gestão de riscos é precária? 

Rodrigo Pironti - Difícil, mas temos que começar inovando em alguns conceitos, trabalhando com uma gestão mais dialógica, pois só assim conseguiremos reduzir a assimetria de informação.

O que são matriz efetiva, KPIs, e KCIs?

Rodrigo Pironti - Matriz efetiva é aquela que cumpre o papel de prevenir, por meio da definição de eventos de riscos, as incertezas à que está exposta a Administração. KPI’s são indicadores chave de performance, fundamentais para se comprovar a efetividade do compliance na atualidade e KCI’s são os indicadores chave de crise, pois em um país como o Brasil, é preciso se pensar em indicadores de crise para que possam ser estabelecidos bons planos de continuidade do negócio (PCN). 

 

;

Complementos

3º Congresso de Governança Pública

> Visualizar

Comentários

Nenhum comentário até o momento

Participe do congresso e veja a palestra: Gestão de Riscos nas Aquisições, com Marcio Motta

Saiba mais